terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

AS MARAVILHAS DO ARREBATAMENTO

1 Ts 4:13-18


1. A MARAVILHA DA VIVA ESPERANÇA

1 Ts 4:13 Não quero, porém irmãos que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não tem esperança.

a) Um dos momentos cruciais para os crentes em Tessalonica – era quando alguém falecia entre os irmãos... Aquela Igreja tinha sido afetada por ensinos erroneos quanto ao destino dos que morrem... A realidade da morte para os tessalonicenses, era de ignorancia e tristeza...

b) Então Paulo, escreve a eles – Ensinando-os que a vida não acaba no cemitério... – Rm 8:35-39; Fp 1:21-23; 3:20,21; 2 Tm 4:18; Rm 14:8



c) Disse ontem – que existem 3 tipos de pessoas com relação a Esperança:
• As que estão no mundo sem Deus e sem esperança
• As que vivem uma esperança falsa
• As que possuem uma viva e verdadeira esperança



d) A Igreja é o povo da Esperança:
• Rm 8:224,25 “Porque em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que se ve não é esperança; porque o que alguém ve, como o esperará... Mas, se esperamos o que não vemos, com paciencia o esperamos”

• Nossa Esperança é viva – 1 Pe 1:3

• Nossa esperança produz em nós alegria – Rm 12:12

• Nossa esperança não traz confusão – Rm 5:5

• Nossa esperança – é o resultado da habitação de Cristo – Cl 1:27

1º.) Esperamos Jesus – 1 Ts 1:10
2º.) Esperamos ir com Jesus – Jo 14:1-3
3º.) Esperamos ficar com Jesus – 1 Ts 4:17
4º.) Esperamos ser como Jesus – Fp 3:20,21; 1 Jo 3:2


2. A MARAVILHA DA RESSURREIÇÃO – 1 Ts 4:14-16

a) Nenhum tratou da doutrina da Ressurreição com tanta profundidade e revelação como o apóstolo Paulo...

b) Toda vez que Paulo trata da nossa ressurreição – Paulo fala que nossa ressurreição está assegurada pela Ressurreição de Nosso Senhor Jesus...
• Fp 3:10,11

• O cap. 15 da Carta aos Corintios – conhecido como o capítulo da Ressurreição (antes de Paulo tratar da nossa ressurreição – ele fala do fundamento: A Ressurreição de Cristo – 1 Co 15:3-20


3. A MARAVILHA DA VINDA DE CRISTO – 1 Ts 4:16

a. É digno de nota – O porquë Paulo usa a expressão:
O MESMO SENHOR...

b. Paulo em primeira mão está nos dizendo que:

• Jesus virá pessoalmente – 1 Ts 4:16; Ap 22:12
- Ilustr: (poderia enviar os anjos e esperar a Igreja no Céu...)

• Jesus virá gloriosamente – com seus anjos e coroado de glória e honra – Ap 1:13-17; 19:11-16

- 3 fatos anunciarão sua Vinda:
1º.) alarido – Voz de comando do Senhor (Salmo 29)

2º.) voz do arcanjo – O Arcanjo Miguel bradará aos seus comandados (miríades angelicais)

3º.) Trombeta de Deus – Seu propósito – A Ressurreição do mortos...............1 Co 15:52 (Última trombeta)
Eram usadas: -Em tempo de guerra - Quando havia festas em Israel - No deserto, na peregrinação (para reunir o povo e quando o povo ia partir, para levantar acampamento)

• Jesus virá repentinamente – Mt 24:27, 1 Co 15:52

• Jesus virá brevemente – Ap 3:11; 22:12, 20


4. A MARAVILHA DO ENCONTRO – 1 Ts 4:17


a) Quem tem palavras para descrever esta cena... Eu não tenho... será algo jamais experimentado pela Igreja – Encontrar com Jesus...
• Adão se encontrava com Ele na viração do dia
• Abraão encontrou-se com Ele quando com mais dois anjos chegaram a sua casa
• Jacó foi encontrou-se com Ele no vau de Jaboque e foi abençoado
• Moisés o encontrou no Monte Horebe
• Josué encontrou-se com Ele ao pé da cidade de Jericó
• Manoá, pai de Sansão encontrou-se com Ele e se alegrou em saber de seu Nome
• Sadraque, Mesaque e Abdnego encontraram-se com Ele na fornalha ardente
• Nicodemos encontrou-se com Ele e nasceu de novo
• A samaritana encontrou-se com Ele e bebeu da água da vida
• Zaqueu encontrou-se com Ele e foi salvo
• Estevão encontrou-se com Ele enquanto era apedrejado
• João encontrou-se com Ele (Ap 1:13....)

MAS – NENHUM DESTES ENCONTROS SE COMPARARÁ COM ESTE ENCONTRO DE (1 Ts 4:17)

• Rute – encontrou-se com Boaz e foi remida

• A Sulamita – encontrou-se com o rei Salomão e foi por ele amada

• Ester – encontrou-se com Assuero e foi alvo de grande misericórdia

• Rebeca – encontrou-se com Isaque:
1º.) Porque Eliezer foi prepara-la e buscá-la
2º.) Depois de grande e penosa viagem
3º.) Depois de grande anelo e esperança no coração de Rebeca e Isaque
4º.) O encontro – Não foi nem na casa de Isaque (tenda) – Nem na casa de Rebeca – O encontro foi no campo (Gn 24:65) - 1 Ts 4:17

CARACTERÍSTICAS DO ENCONTRO:

1ª.) Será nos ares - 1 Ts 4:17



2ª.) Será um Encontro – que nunca mais haverá separação –
1 Ts 4:17 “...a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.”


3º.) Será Celebrado com uma Grande Festa – Ap 19:7-9
- As Bodas do Cordeiro

Pastor Marcos Antonio

sábado, 14 de fevereiro de 2009

AQUELE IRMÃO

"E com ele enviamos aquele irmão cujo louvor no Evangelho está espalhado em todas as igrejas. E não só isso, mas, também foi escolhido pelas igrejas para companheiro da nossa viagem, nessa graça que por nós é ministrada para a glória do mesmo Senhor e prontidão do vosso animo."
(2 Co 8:18,19)

Pontos de Introdução:

1º.) É característica do ser humano, desejar que seu nome seja mencionado, lembrado....Principalmente quando este está realizando algo que julga-se ser importante, como ajudar ao próximo, etc

2º.) Conta-se de dois irmãos no Oriente antigo, Omar e Amed – o primeiro se preocupou em construir um grande monumento com seu nome; o outro, cavou um poço, e abençoou gerações que passaram por aquele caminho da fonte (ali não estava seu nome, mas seu trabalho).

3º.) É notável nas Escrituras, como Deus a propósito se refere a anonimos que realizaram grandes feitos.
- O profeta anonimo que profetisou para o Sumo sacerdote Eli – 1 Sm 2:27
- O profeta que profetisou para o rei Acabe, sobre o inimigo, o rei Ben-Hadade (Siria) – 1 Rs 20:13,22 (“Eis que um profeta...Então, o profeta...)
- A menina da casa do general Naamã – Jz 5
- A viúva de 2 Rs 4 – (E uma mulher das mulheres dos filhos dos profetas...)

4º.) Neste texto – 2 Co 8:18,19 – Paulo fala das virtudes de um abençoado irmão, mas omite o seu nome – Somente diz: AQUELE IRMÃO...


I. AQUELE IRMÃO TINHA VIRTUDES:

1. AQUELE IRMÃO TINHA BOA FAMA – 2 Co 8:18

2. AQUELE IRMÃO TINHA A CONFIANÇA DA IGREJA – 2 Co 8:19

3. AQUELE IRMÃO ERA COMPANHEIRO – 2 Co 8:19

4. AQUELE IRMÃO ERA PROVEDOR DOS SANTOS – 2 Co 8:19




II. AQUELE IRMÃO – COMO PRECISAMOS DELE

1. Aquele irmão de oração – Ef 6:18
2. Aquele irmão visitador – Mt 25:36
3. Aquele irmão conselheiro – Pv 11:14
4. Aquele irmão pacificador – Mt 5:9
5. Aquele irmão voluntário – At 9:6
6. Aquele irmão amigo – Pv 18:24
7. Aquele irmão humilde – Mt 18:4
8. Aquele irmão amável – 1 Sm 18:1-4
9. Aquele irmão generoso – Sl 112:3-9
10. Aquele irmão incansável – 1 Co 15:58


Conclusão:

Senhor, felizes são as igrejas e ministérios que possuem: AQUELE IRMÃO... Que não está preocupado na promoção de seu nome, que ficam no anonimato realizando grandes obras para Deus.
Lembro-me, quando pastor em Curitiba; nas grandes festividades da igreja – em razão de minha função, dirigia praticamente todos os eventos.
No encerramento de um congresso, um irmão me esperava ao descer do púlpito (era sempre o mesmo...); desta vez muito furioso comigo, queria saber porque não mencionei seu nome. Mais furioso ficou quando lhe respondi:
- O culto é para Deus, não para o irmão! Seu nome neste contexto não é importante, nem o meu, mas, sim o nome do Senhor!
Por certo, o referido irmão não era AQUELE IRMÃO.

Pastor Marcos Antonio

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

MEU SINCERO CLAMOR

Confesso que estou profundamente preocupado com os novos rumos de nossa querida Assembléia de Deus. Surpreende-me o afastamento das ações sinceras que existiram em nossos pioneiros Gunnar Vingren e Daniel Berg e na grande pleiade de pastores; que ministravam aos santos desprovidos de qualquer soberba e politiquices.

Recentemente folheava um livro antigo de nossa CPAD, da pena historiadora do saudoso irmão Emilio Conde, sobre os registros das primeiras Convenções, onde a tonica maior era o quebrantamento e a direção do Espírito em todas as decisões.

Hoje somos brindados como denominação por um expressivo número de líderes altamente preparados, cujo nível cultural e intelectual supera o de nossos pioneiros. Pena, que já não possuam a mesma fé e a mesma unção.

Alguns dias atras, fui convidado para ministrar a Palavra de Deus em uma grande Assembléia de Deus brasileira aqui nos Estados Unidos. O pastor desta igreja, um querido amigo de muitos anos, mostrou-me em tom de preocupação um panfleto de propaganda de chapa eleitoral para a próxima eleição em Abril próximo (CGADB – em Vitória, ES). Nenhum, problema. Seria incoerencia de minha parte repudiar tal procedimento, quando o mesmo acontece dentro da paz, da harmonia e do amor de Cristo.
O que preocupa-me é o que todos os ministros da denominação já sabem: O espírito de disputa e desleal que campeia já de norte a sul do Brasil. Hoje, infelizmente em muitas rodas de pastores, se ouvem de maquinações, articulações malignas que visam a todo o custo denegrir os oponentes. Não é de admirar que o fogo do Céu já não desça em nossos púlpitos e nem a unção se derrame pelos nossos sermões, porque decidimos a ser politiqueiros e não ministros de Deus.

Na última Convenção Geral realizada em São Paulo, quando alguns líderes literalmente se degladiaram com palavras ofensivas, lembro-me do que um irmão disse-me naqueles dias:
- Pastor, se Jesus voltar durante uma Convenção como esta, sobe só a Igreja...

Que Deus tenha misericórdia de todos nós, e nos ajude a voltarmos aos pés da Cruz para um arrependimento real e humilhação diante do Senhor.

Ao aproximar-se a grande Convenção Geral em Vitória, ES - clamemos ao Senhor que todas as sessões sejam cobertas pelo Sangue do Cordeiro, e que não haja lugar para o desrespeito, deslealdade e arrogancia.

Que mãos se levantem sem ira e sem contenda. Que corações quebrantados reconheçam que o dono da Igreja é Jesus, que a comprou com seu próprio Sangue – e que como pastores, somos apenas mordomos, cuja mordomia, muito em breve a Ele prestaremos conta.

Se pudessemos hoje perguntar ao querido irmão Daniel Berg:
- O que sabe o irmão sobre articulação politica, ou sobre competição pelo maior cargo da denominação, ou sobre como comprar votos ou algo assim...
Certamente ele responderia como sempre dizia:
- Eu só sei que Jesus Salva, cura e batiza no Espírito Santo.


Clamando pela misericórdia de Deus,


Pastor Marcos Antonio da Silva
Assembléia de Deus de Plant City – Florida - USA

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

SETE CARACTERÍSTICAS DO EVANGELISMO

E todos os dias no templo, e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar Jesus Cristo. (Atos 5:42)

1. EVANGELISMO CONTÍNUO - E todos os dias...
- Deve ser todos os dias

2. EVANGELISMO NO TEMPLO - ...no templo...
- Para nossas reuniões evangelísticas, convidemos sempre alguém para ouvir a Palavra de Deus

3. EVANGELISMO NOS LARES - ...e nas casas...
- Imitemos a Igreja do princípio que cresceu através dos cultos nos lares.

4. EVANGELISMO PERSEVERANTE - ...não cessavam...
- Não devemos desanimar, mas prosseguir levando a preciosa Semente

5. EVANGELISMO PELO ENSINO BÍBLICO - ...de ensinar...
- Neste aspecto, temos a Escola Bíblica Dominical como um instrumento eficaz na conquista de almas para Deus

6. EVANGELISMO PELA PREGAÇÃO - ...e de anunciar...
- Carecemos de mais pregações evangelísticas

7. EVANGELISMO CRISTOCENTRICO - ...Jesus Cristo.
- A alma da mensagem do Evangelho é Cristo. Se Cristo não for o tema de nosso evangelismo, o mesmo se torna ineficaz.

Pastor Marcos Antonio

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

UM EXEMPLO A SER SEGUIDO NA SENDA DO MINISTÉRIO

Temos um querido irmão em nossa Igreja, cujo testemunho e serviço a Deus com sua família teem recreado a minha alma. Seu nome é Wellington.
Sempre desejoso de realizar com denodo e amor a Obra de Deus, viaja mais de 100 kms para se congregar conosco - pois, em sua cidade (Spring Hills - Florida) não existe igreja de Língua Portuguesa. De fato, ele perfaz mais de 200 kms, contando ida e volta a Casa de Deus.
Ao chegar ao templo, cheio de alegria sempre me diz:
- Pastor Marcos, graças a Deus chegamos para adorar ao Senhor!
Ao pensar em muitos que por qualquer motivo banal ficam em casa em frente a TV ou navegando pela Net. Mas, este servo de Deus com sua família é sempre um lindo exemplo de amor a Casa de Deus.
Soube que por anos, todas as semanas - ele vai com seus filhinhos para uma das esquinas de sua cidade para evangelizar. Levanta uma grande placa - com textos da Bíblia em Ingles, e ali semeando a boa semente do Evangelho - permanece por horas ali em pé. Muitos buzinam, chingam, fazem gestos obcenos...Outros param para perguntar-lhe algo da Palavra...Outros acenam com a mão, sinalizando apoio ao trabalho. Recentemente, um policial, parou seu carro e perguntou-lhe:
- Tenho observado, que toda a semana o sr. está aqui com esta placa...Eu não entendo...Qual o propósito...
Foi a oportunidade riquissima do irmão Wellington falar do grande amor de Cristo:
- Caro policial, eu era um homem perdido...Outrora vivia nas drogas...vida dissoluta e vazia...Mas, um dia Jesus me encontrou e me salvou... O que faço hoje, nada é diante de tudo o que Jesus fez por mim.

Louvando a Deus por este querido irmão e com o coração tocado,

Pastor Marcos Antonio
Assembly of God
Plant City - Florida

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

UM MARAVILHOSO TESTEMUNHO A RESPEITO DA INTERVENÇÃO DE ANJOS AJUDANDO OS SERVOS DE DEUS

Contou-me o pastor Antonio Gilberto, a respeito do que ocorreu aqui nos Estados Unidos, com um pastor amigo seu. Este, encontrava-se em viagem, atendendendo reuniões do Concílio das Assembléias de Deus. Quando estava no término das reuniões, telefonou para sua esposa e lhe disse:
- Querida, amanhã estarei com voce por volta do meio dia, para o almoço. Querida, comigo estão indo tres pastores. Por favor, arrume o quarto de hóspedes e monte tres camas. Ah, prepare o almoço para mais tres.
- Está bem querido, tudo estará arrumado quando voces chegarem amanhã ao meio dia. - Respondeu sua esposa.
Pela manhã do dia seguinte, o inesperado ocorre. Ela não consegue mover-se da cama, sente-se muito enferma e fraca. Tenta sair da cama, mas, não tem forças para mover-se. São 8 horas da manhã. Preocupada clama ao Senhor:
- Meu Deus, meu esposo chegará hoje ao meio dia com mais tres pastores. Preciso montar tres camas no quarto de hóspedes e ainda preparar o almoço para eles. Mas, Senhor, sinto-me fraca e muito enferma. Ajuda-me Senhor.
Ao término desta oração, ouve alguém bater a porta. Com muita dificuldade abre a porta e recebe uma mulher com um sorriso na face, que foi logo dizendo:
- Eu vim para ajudar voce!
A irmã surpresa, mesmo sem conhece-la, sentiu confiança em recebe-la, pois algo de Deus em seu coração, testemunhava que poderia confiar. Disse para a visitante inesperada:
- Minha irmã, encontro-me muito doente. E, meu esposo chegará hoje ao meio dia, com mais tres pastores. Preciso limpar a casa, montar tres camas no quarto de hóspedes e preparar-lhes o almoço, por certo chegarão com muita fome.
Imediatamente, a irmã visitante disse-lhe:
- Fique tranquila, deite-se e repouse. Voce precisa descansar. E, deixe todo o trabalho comigo.
Logo, que deita-se, dorme profundamente. Pouco antes do meio dia acorda-se. Sente-se melhor e levanta-se, e chama a irmã que veio para ajudá-la:
- Irmã, eu já me sinto melhor, onde está voce...
Porém, ninguém responde. Ela concluiu que a irmã certamente já tinha ido embora.
Notou que a casa estava toda arrumada e limpa. Foi ao quarto de hóspedes e viu quatro camas montadas, e disse:
- A irmã quis me ajudar mesmo, e acabou trabalhando demais. Se enganou, montou uma cama a mais.
Vai até cozinha, nota que o almoço está pronto e que a irmã arrumou em vez de mais tres pratos e tres talheres, quatro pratos e quatro talheres.
- A irmã trabalhou muito mesmo, mas se enganou. Eu disse a ela que meu esposo está trazendo com ele tres pastores.
Mas, fica intrigada com uma coisa: Nota que a casa está com todas as janelas com cadeados e as portas que dão acesso para fora, também trancadas, com as chaves na fechadura pelo lado de dentro. Ela pensou admirada:
- Meu Deus, por onde a irmã saiu...

Enquanto fala consigo, seu esposo bate a porta. E chega desculpando-se:
- Querida, não tive como te avisar, mas vieram comigo quatro pastores e não tres como eu havia dito.
Sua esposa conta tudo o que houve, e todos se alegram no Senhor, concluindo que em resposta ao clamor a Deus, um anjo foi enviado para trazer ajuda.

Hebreus 1:14, nos declara que os anjos são espíritos ministradores que trabalham em favor dos vão herdar a Salvação.

No amor de Cristo, e na certeza de que o Anjo do Senhor acampa-se ao redor daqueles que temem ao Senhor (Salmo 34:7),

Pastor Marcos Antonio

QUAL O PROPÓSITO DA UNÇÃO COM ÓLEO ?

Com muita frequência tenho sido sido indagado a respeito deste assunto, como por exemplo:”É correto ungir objetos ou pessoas que não estão enfermas fisicamente ?”

O fato de no Antigo Testamento, ao instituir o Tabernáculo, o Senhor ter ordenado que a linhagem sacerdotal e os utensílios sagrados fossem ungidos, não dá amparo a ninguém fugir dos padrões Neo-Testamentários.

Primeiramente, Deus determinou que o “Azeite da Santa Unção” (Ex 30:22-33) tinha propósitos específicos na Tenda da Congregação e na consagração dos sacerdotes.

Em segundo lugar, deve-se considerar que o referido azeite, não poderia ser usado para outro propósito, sob pena de juízo por parte do Senhor Deus de Israel. Ex 30:32, declara: “Não se ungirá com ele a carne do homem, nem fareis outro semelhante conforme à sua composição; santo é, e será santo para vós.”

Em terceiro lugar, o texto está falando de uma ordem a um povo, Israel. Lembremo-nos, que os costumes da antiga Aliança, faziam parte do pacto de Deus com o povo israelita.

Isto não abre um precedente, para alguém afirmar: ”Assim como se ungiam objetos no Tabernáculo, também podemos ungir nossa casa, nossa roupa, nosso carro, etc…”. Se temos que cumprir o ritual levítico; então podemos levantar altares, sacrificar animais, queimar incenso, acender candelabros, etc. , Mas tais cerimônias, como Igreja não observamos, pois estas ordenanças cerimoniais fogem de nossso contexto histórico-cultural e do propósito da Igreja do Novo Testamento, pois fomos chamados : “sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo”(1 Pe 2:5) .

O fato de profetas e reis também serem ungidos, como sinal de separação e consagração para seus respectivos ofícios, também não deve levar-nos a desvios doutrinários, que normalmente visam acomodar uma idéia sem o verdadeiro embasamento bíblico.

Concernente, ao costume de se ungir hóspedes em Israel; mais uma vez lembro, que não temos autorização bíblica no Novo Testamento, para fazer disto uma doutrina. Pois quem estuda a respeito deste exemplo, bem como o dos anteriores já citados, deve observar o povo de Israel em seu contexto histórico.

Certa vez, fui procurado por um irmão, que pediu-me que orasse por ele e o ungisse com óleo. Como sempre faço em um caso deste; perguntei-lhe:
O irmão está enfermo ?
Não - respondeu-me o irmão, e prosseguiu: - Eu quero que o irmão me unja para que Deus me abençoe!
Antes de orar tive que explicar para ele, o que diz a Palavra de Deus a respeito. Louvei a Deus, que o fez compreender somente em que caso a Escritura , autoriza a unção com óleo.

Segundo o ensino do Novo Testamento, a Unção com óleo deve ser ministrada exclusivamente aos enfermos do corpo:
Mc 6:13, declara-nos: “…e ungiam muitos enfermos com óleo, e os curavam.”. Esta referência bíblica revela-nos, que os discípulos de Jesus, usavam o azeite para ministrar aos enfermos.
Tg 5:14, “Está alguém entre vós doente ? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor.” Demonstrando ser este, o propósito de se ungir com óleo. Sendo esta, a forma bíblica correta; por que tantos evangélicos cometem tantos desvios ? A resposta está no afastamento da Palavra de Deus, quanto ao seu estudo e obediência. Já não é mais novidade em muitos lugares, pregadores convidarem as pessoas a frente para receberem unção; e um após outro são untados na testa com azeite.

Como a Escritura nos revela, não temos fundamentação para tal procedimento. E quanto a esta unção tão desejada pelos santos; ela não se recebe por este método, mas pela oração e comunhão com Nosso amado Salvador. 2 Co 1:21 diz “…e o que nos ungiu é Deus.” E 1 Jo 2:20 “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.” Vivamos portanto, cheios desta unção, deixando de lado os erros de interpretação.

Ouvi de um obreiro certa vez, que é bom derramar azeite em todos, para estimular a fé. Que lástima! A fé está tão fraca, que os crentes agora precisam de um “amuleto espiritual”. A fé só cresce com Palavra de Deus: “De sorte que a Fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus.”(Rm 10:17). O que a nossa gente está carente é de pregadores comprometidos com a Bíblia, que a preguem com poder e verdade. Uma igreja firmada na Escritura, não dará lugar ao misticismo, nem aos amuletos que tentam roubar o lugar do Espírito Santo.

Voltemos a considerar o uso permitido do azeite segundo a Palavra de Deus, isto é, ministrados aos enfermos: Outro fato digno de consideração, é que não existe nenhum poder curador no azeite. Há quem pregue, que no momento em que o enfermo está sendo ungido, a própria unção divina se materializa no azeite. Os que assim acreditam, seguem o mesmo princípio da antiga crença católica, de que no sacramento da missa, o vinho literalmente transforma-se no Sangue de Cristo e o pão, no Corpo de Cristo. Esta é a doutrina da Transubstanciação.

É inegável, que muitos trazem alguma herança católica e espírita em sua profissão de fé; o que é profundamente lamentável.

Note que o texto de Tiago 5:14, diz:”…e orem sobre ele em nome do Senhor”. Sim, pois os enfermos são curados pelo nome do Senhor, e não pelo azeite. Diz-nos Mc 16:117,18 “Em meu nome…; e porão as mão sobre os enfermos, e os curarão.”
Escreveu Orlando Boyer em seu renomado livro “Esforça-te para ganhar almas” (pg. 115), quando ao tratar da doutrina da Cura Divina, comentou Isaías 38:1-5,20,21; quando da cura recebida pelo rei Ezequias. Boyer considerou o seguinte: “ Não devemos pensar que a cataplasma curou o rei. Não é razoável que uma pasta de figos curasse uma doença mortal (Is 38:1). Não foi água medicinal do Jordão que curou a lepra de Naamã (2 Rs 5). Da mesma maneira, é mais razoável que a ordem de aplicar a pasta de figos fosse para provar a obediência do rei Ezequias.”

Tiago 5:15, “E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará…” O Senhor, e não o azeite, convém que se diga repetidas vezes para não esquecermos. O cego curado descrito no Evangelho de João cap. 9, não saiu proclamando que o poder sarador estava no lôdo aplicado em seus olhos por Jesus, nem tão pouco louvou as águas do Tanque de Siloé; mas reconheceu que foi curado por Jesus (Jo 9:10,11).

Pastor Marcos Antonio